Curso Presencial

Mas o que é Psicanálise?

Psicanálise é a ciência/arte que objetiva a transposição inconsciente/consciente. Considerada como a forma de tratamento das neuroses atualmente denominadas “psiconeuroses” tem por norma seu tratamento através de: a) Processo de Livre Associação de Idéias; b) Interpretação dos Sonhos; c) Observação e Análise do fenômeno da Transferência; d) Análise dos Atos Falhos (Parapraxias) e da Resistência.

Quanto tempo de curso?

O curso está distribuído em 24 módulos, sendo um encontro por mês presencial, trabalhos extra aula, indicações de leituras e pesquisas. Num período total de 2 anos.

Sua abrangência limita-se

Ao método de investigação do inconsciente; À psicoterapia baseada nesse método e; Ao conjunto de teorias e normas em que são sistematizados os dados introduzidos pelo método psicanalítico. No dizer de Freud, “é uma profissão de pessoas leigas que curam almas, sem que necessariamente sejam médicos ou sacerdotes”.

O que faz o Psicanalista?

Há uma grande necessidade de psicanalistas para orientar as pessoas na solução de seus problemas existenciais, tais como: fobias, ansiedades, depressões, obsessões, impulsos auto e heteroagressivos, angústias e crises de toda ordem. O profissional de Psicanálise ajudará a sociedade a ficar mais humana e a vida a ter mais sentido!

Quem poderá fazer o curso?

Médicos, Professores, Engenheiros, Odontólogos, Advogados, Assistentes Sociais, Pedagogos, Teólogos, Enfermeiros, Pastores, Padres, Psicólogos, Contadores, etc. Este curso é dirigido a todos os interessados em adquirir conhecimentos mais profundos em Psicanálise. Aos que querem aprender a dinâmica de seus problemas emocionais e afetivos de acordo com as teorias psicanalíticas, e aos que desejam dedicar-se à Psicanálise como Terapeutas e Clinicar.

Quando o aluno pode iniciar?

O interessado faz sua pré-inscrição por meio dos contatos (colocar um link) aguardando completar sua turma.

Onde o curso acontecerá?

O curso acontecerá em sua cidade ou em alguma próxima. Contate-nos para informações de cidades onde o curso está sendo oferecido.

Requisitos

Para matricular-se no Curso de Psicanálise Clínica o aluno deverá ter concluído um Curso Superior estar cursando.

Grau conferido

A SPEB conferirá o grau de Psicanalista Clínico.

Documentação exigida

  • Cópia do Diploma ou Certificado do 3o Grau;
  • Duas fotos 3/4;
  • Cópia de Identidade e CPF;

Investimento

O valor é de R$ 290,00* por módulo.

No curso presencial, o valor da mensalidade pode variar de cidade pra cidade. Consulte o preço para a sua localidade.

Análise didata

Apresentar a Certidão de Análise Didata, assinada por um Psicanalista Clínico de sua cidade, comprovando que fez no mínimo 30 (trinta) sessões analíticas.

Estágio

O aluno receberá da SPEB partir do 18º Módulo e Certidão de Análise Didata, uma autorização por escrito para atender pacientes-piloto em sua cidade, tendo o acompanhamento de um Analista. A SPEB disponibilizará na ocasião o roteiro do Estágio.

Conclusão

O formando deverá apresentar até o final do Curso o seu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Este pode ser em forma de artigo, monografia, resumo ou estudo de casos.

Nota para aprovação

Exige-se nota mínima sete (7.0), para a aprovação.

Grade Curricular

A origem da psicanálise, psicanálise como ciência, campos das psicoterapias. Introdução à técnica psicanalítica e principais conceitos. As ideias básicas da psicologia humana e seu desenvolvimento sob uma perspectiva psicanalítica. Nascimento da Psicanálise: história e contexto. Primeiros psicanalistas: convergências e divergências. Psiconeuroses de defesa: do trauma ao conflito psíquico. Interpretação dos Sonhos.  Primeira tópica do aparelho psíquico. Formações do inconsciente. Primeira tópica pulsional.

Estudo dos primeiros estudos desenvolvidos por Freud, em como sua relação com as concepções vigentes acerca do ser humano, ressaltando o impacto provocado pela Psicanálise na filosofia, na ciência, na religião da época, bem como suas implicações na contemporaneidade. Capacitação do discente para atuar nas áreas clínica e de pesquisa e em abordagens interdisciplinares e trabalho em instituições.

Organização, resumo e apresentação das principais Teorias da Personalidade na perspectiva psicanalítica, e suas contribuições para o aprofundamento do conhecimento e compreensão da personalidade do sujeito na atualidade. Descrição de uma série de características que foram tratadas como componentes da personalidade. Introdução as diferentes teorias que tentam explicar o desenvolvimento e a estrutura da personalidade.  Análise e comparação das teorias da personalidade com destaque para as diferenças e semelhanças. Observação dos fenômenos inerentes da personalidade no seting psicanalítico.

Organização, resumo e apresentação das principais Teorias da Personalidade na perspectiva psicanalítica, e suas contribuições para o aprofundamento do conhecimento e compreensão da personalidade do sujeito na atualidade. Descrição de uma série de características que foram tratadas como componentes da personalidade. Introdução as diferentes teorias que tentam explicar o desenvolvimento e a estrutura da personalidade.  Análise e comparação das teorias da personalidade com destaque para as diferenças e semelhanças. Observação dos fenômenos inerentes da personalidade no seting psicanalítico.

O tripé da formação psicanalítica. Forças que são favoráveis e as que se opõem ao bom andamento do processo analítico. Etapas da Análise. Vicissitudes do processo psicanalítico. Atividade e passividade na análise. A autoanálise. O processo didático de estágio. Pontos para elaboração do relatório do estágio. A supervisão Psicanalítica. Fatores que influenciam no processo de supervisão. Funções do supervisor. O processo de luto durante a  supervisão psicanalítica. Psicoterapia Psicanalítica Integrada. Similaridades das técnicas: Psicoterapia Breve de Orientação Psicanalítica e Análise Tradicional. O credenciamento.

Com a demanda crescente de carências e desequilíbrio emocional surge a necessidade de que o profissional da psicanálise conheça sobre os sonhos: seus símbolos e seus significados.  Concepção freudiana: Sonho é “um produto da atividade do inconsciente e que tem sempre um sentido intencional, a saber: a realização ou a tentativa de realização – mais ou menos dissimulada, de uma tendência reprimida”. “Os Sonhos são a estrada real que conduz ao inconsciente” escreveu Freud. O grande mérito de Freud foi, por meio da análise dos sonhos, apontar para a existência do inconsciente. O Sonho é, portanto, a “estrada real do psiquismo”. Freud entendia que o psicanalista, partindo da informação que lhe presta o paciente (conteúdo onírico manifesto), chegaria a obter o conteúdo latente ou “idéias do sonho. As manifestações oníricas são o mais rico caminho de acesso ao inconsciente e revelam muito a respeito do indivíduo. A evolução da ciência comprova que os sonhos são essenciais para o equilíbrio do organismo e fortalece a teoria psicanalítica nascida há um século.

Estudaremos: Simbologia e mitos dos sonhos; O drama, os personagens e estrutura dos sonhos; Tipos de sonhos: grandes sonhos, e sonhos recorrentes; Sonhos lúcidos e sonho dentro do sonho; Conteúdos sombrios nos sonhos; Tipos de sonos e seus estágios.

Métodos e Investigação em psicanálise: Hipnose, Sugestão, Associação Livre, Neurose de Transferência, Experiência Emocional. Fatores que influenciam no processo de terapia. Doenças da Alma. História da hipnose na Psicanálise. A hipnose no processo psicanalítico.  Noções básicas sobre hipnose e o processo de hipnoterapia. Modificações produzidas pela análise. Modificações  produzidas pela hipnoterapia. Tipos de hipnose. Hipnose Clínica. Tipos de procedimentos de sugestibilidade.  Ressignificação . Reprogramação Mental.

Compreensão dos fenômenos do desenvolvimento humano, normal e patológico, ligados ao corpo biológico e as suas relações com a psique, mente e o meio ambiente. Estudo das bases fisiológicas do estresse e de seus mecanismos de adaptação. Entendimento de como esse fenômeno psicossomático interfere nas relalções intra e interpessoais.

Transformação do conceito de família ao longo da história, as diferentes abordagens de terapia familiar, a relação família e saúde mental, questões práticas na terapia familiar.

Conhecimento do que são Transtornos; Transtornos neuróticos; Transtornos de ansiedade; Transtorno obsessivo-compulsivo; Transtornos relacionados ao stress; Transtornos Dissociativos; Transtornos de personalidade; Transtornos alimentares; Transtorno do espectro Autista; Transtorno de Déficit de  Atenção e Hiperatividade; Outros transtornos da infância e adolescência.

Perspectivas teóricas sobre a Clínica das Neuroses e das Psicoses, com base na Psicanálise Freudiana. Evolução do conceito de psicose em Freud: a concepção de defesa como explicativa das psiconeuroses. Diagnóstico diferencial das psicoses: mecanismos psíquicos e estruturais. A perda da realidade na neurose e na psicose. O conceito de projeção. Contribuições de Lacan ao estudo das psicoses: o conceito de foraclusão; as estruturas elementares das psicoses; a psicose e os registros do simbólico, do imaginário e do real. Algumas versões da estrutura psicótica; abordagem diferencial dos diversos tipos de psicose. Abordagem clínica em psicanálise: propostas contemporâneas. O conceito de neurose em Freud. Recalque e destinos dos representantes da pulsão: o afeto e o representante ideativo. A formação de substitutivos, o sintoma e o retorno do recalcado. Os complexos de Édipo e de castração nas neuroses. O recalque nas três formas gerais da neurose: a histeria de angústia e o sintoma fóbico estruturado; a histeria de conversão; a neurose obsessiva. A clínica da neurose.

Ética do psicanalista e do paciente. Relação com os colegas. A ética na psicanálise a partir de seus conceitos centrais. O desejo do analista e suas renúncias. Relação com os colegas. Relações com instituições formadoras e sociedade. Ética e a sexualidade. Direitos profissionais e direitos do paciente. Aspectos jurídicos. Código de ética do psicanalista e disciplina. Psicanalista e o sigilo profissional.

O Complexo de Castração; A Inveja do Pênis; Complexo de édipo e complexo de castração fixação pulsional; Síntese clínica; Esquema do complexo de castração no menino; Esquema do complexo de castração na menina.

A Comunicação Eficaz;  Os Canais de Comunicação; O que é Programação Neurolinguística (PNL); Técnicas e Estratégias da PNL; Aplicações da PNL;  Ressignificação; Controle emocional.

Em torno do conceito de psicossomática; Aspectos históricos da psicossomática; O processo de somatização. Dores : física, fascial, emocional , da alma…As dores psicossomáticas. Doenças da alma. As estruturas cerebrais na formação das emoções. Relação entre emoções e a dor. O não dito. O segundo cérebro. O fenômeno psicossomático; O desejo de curar-se. Hipocondria e hipocondríacos; O pensamento operatório; Alexitimia; O paciente/cliente psicossomático; Psicanálise e psicossomática. Aspectos terapêuticos em psicossomática.

Este módulo é um convite a trabalhar a linguagem corporal como instrumento do nosso ambiente analítico. Uma gigantesca parte de nossa comunicação se dá pelo não-verbalizado. Assim, na sessão obteremos informações do inconsciente pela associação livre no verbalizado e no não-verbalizado, pois o corpo fala.

Conceito de Linguagem Corporal; Três regras para uma leitura precisa; Decodificação nos membros Superiores; Aperto de mão; Decodificação nos membros inferiores; Fisiognomia – Decodificação no rosto; As Pupilas; Movimento dos olhos; Sorriso.

A crescente demanda ao profissional de saúde mental pelo domínio da Psicoterapia Breve nos coloca diante da necessidade de uma permanente reflexão sobre a prática clínica, para que esta não se reduza a uma mera aplicação de técnicas. A partir da apresentação e análise crítica dos princípios que norteiam as chamadas Psicoterapias Breves, estaremos oferecendo ao aluno ferramentas teórico-técnicas que lhe possibilitem criar , conduzir intervenções terapêuticas breves condizentes com o projeto clínico de cada situação, levando em conta as especificidades do manejo técnico do atendimento.

Sexologia é a área do conhecimento que trata do comportamento sexual. É um fenômeno recente, com a atual abordagem datando do final do século XIX. Trata-se de uma área de atuação interdisciplinar, que abrange: – algumas áreas da medicina (andrologia, ginecologia e a anatomia dos órgãos sexuais); – psicologia, sociologia e antropologia do comportamento sexual; – neurociências (o estudo da base da resposta sexual e a complexidade do comportamento sexual); – psiquiatria (parafilias, assim como desordens que levam a inadequações); a epidemiologia das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs);   A sexologia também toca questões mais amplas, como o conceito de saúde sexual, aborto, saúde pública, controle de natalidade, abuso sexual, entre outros.   É uma ciência que estuda a sexualidade.

Este módulo aponta que uma das principais contribuições de Freud para a Educação está no conhecimento do desenvolvimento sexual da criança (leia a reportagem sobre educação sexual) e no papel da linguagem. … Mas advertiu que o sofrimento que a Educação infligia aos alunos ao lidar com pulsões e afetos sexuais poderia ser, de certa forma, atenuado. A principal contribuição da psicanálise para o desenvolvimento humano está relacionada com as forças inconscientes que motivam o comportamento humano. Ela procura descrever mudanças qualitativas, cujo objetivo é fazer com que as pessoas compreendam os conflitos emocionais inconscientes

Outra contribuição da Psicanálise para o contexto educacional é reconhecer e trabalhar com todos os processos transferenciais que envolvem o processo de aprendizagem. A Psicanálise busca entender como esses aspectos são estabelecidos e como podem ser manejados pelo educador para potencializar o processo educativo

A disciplina visa oferecer ao estudante uma visão dos principais quadros psicopatológicos da infância, bem como das principais modalidades terapêuticas. O aluno deverá conhecer os fundamentos teóricos de algumas técnicas utilizadas no tratamento de crianças.

Conceito de inconsciente de Carl, Gustav Jung. Conceito de inconsciente e pré-consciente de Freud. Estrutura topográfica. Material reprimido e recalcado. Representação/ afetos / ideias Condensação e deslocamento Princípio da homeostase. O comportamento e a influencia do consciente e inconsciente.

As Primeiras Relações Objetais:  Abrangendo aspectos normais e patológicos. Diversos estágios do desenvolvimento das suas relações objetais desde a fase Anobjetal até à Carência Total e os Transtornos Psicotóxicos, avançando até à Adolescência e o aparecimento de novas relações. Perpassa pelas contribuições de Melanie Klein e Otto F. Kernberg.

O Setting (Enquadre); Resistências; Contra-Resistência; Impasses: Reação Terapêutica Negativa; Transferências; Contratransferência; A Comunicação Não-Verbal na Situação Psicanalítica; O Silêncio na Situação Psicanalítica; A Atividade Interpretativa; As Atuações (Actings).

Falo; Foraclusão; Identificação em Freud, Lacan e Winnicott; O conceito de identificação em Jacques Lacan; Narcisismo; O supereu freudiano; Sublimação.

Duração

2 anos

Carga Horária

1680 horas

Coordenação

Ailton Junior
Email: [email protected]

Quero Mais Informações